Bem vindos à minha casa!

Se você chegou até aqui é porque gosta de decoração, comidinhas gostosas, casinha arrumada. E é o que você vai encontrar, mas com um detalhe:, tudo com pouquíssimo dinheiro, muita criatividade, reciclagem e reaproveitamento. Entre e fique à vontade e por favor, comente. Adoro ouvir as opiniões de quem passa por aqui. E as perguntas, dúvidas ou sugestões deixadas nos comentários, serão respondidas por aqui mesmo.

terça-feira, 6 de julho de 2010

0

MEIO AMBIENTE CASAS ECOLOGICAMENTE CORRETAS


PROGRAMA MINHA GARRAFA, MINHA CASA

SABE AQUELA GARRAFA PET?! POIS É!

Resolver impasses ambientais como os causados por produtos como este. O polietileno tereftalato -resina termoplástica que compõe o pet- pode ser reciclado e empregado em diferentes funções, como, por exemplo, a fabricação de cadeiras, tijolos, blocos, tapetes, linhas, cordas, vassouras, escovas de dente e até travesseiros.

Sempre que uma nova utilidade é encontrada para o pet, o meio ambiente agradece, afinal o mundo produz em torno de 7 milhões de toneladas ao ano desse plástico cuja expectativa é de 400 anos para se degradar em aterros sanitários.

Muitas também são as tentativas de utilização do material na construção civil e até hoje não tinha visto uma aplicação tão bem sucedida como esta casa das fotos, totalmente construída com garrafas Pet, terra, areia e um pouco de cimento.









Como é a temperatura em uma casa feita com garrafas PET?
Em geral pode-se dizer que é um desenho bioclimático, o que significa que quando estiver frio lá fora, dentro será quente e vice-versa.

Quanto custa construir uma casa com garrafas PET em relação à construção convencional?
Normalmente podemos dizer que o custo baixa entre 40% e 60 %, com respeito ao preço da construção tradicional, dependendo do tipo de obra que estamos construindo.

Que tipo de garrafas podem ser usadas?
Em geral pode-se usar todo tipo de garrafas plásticas. O único segredo é ter a quantidade suficiente para terminar a obra. Podem ser usadas diferentes garrafas em uma obra, mas não devem ser misturadas na mesma parede.

Como construímos as colunas e qual a proporção da mistura?
Nas colunas podem ser usadas garrafas de 500 ou 600 ml, formando um círculo de 11 garrafas. No centro amarramos entrelaçadamente os gargalos com sisal ou nylon. A mistura pode ter uma proporção de 1:6:0,5 (1 de cimento, 6 de areia e meia de cal), mas muitos projetos mais simples usam somente barro para construir as paredes e colunas.

Como se amarram as garrafas em uma parede?
Usa-se sisal ou fios de nylon, normalmente utilizado na agricultura. Devemos amarrar cada garrafa entre si como se fosse uma rede, tanto nos gargalos quanto na base da garrafa . A base é entrelaçada dando uma volta com o laço quando a colocamos. Nos gargalos, igualmente, damos uma volta de modo a entrelaçar umas com as outras em uma forma losangular.

Qual a proporção da mistura das paredes?
Nas paredes são usadas normalmente uma mistura de terra com calcário/barro, muito similar à argila, onde ainda pode ser acrescentada a palha de arroz. A proporção é de 1:6:1 (1 de cimento, 6 de argila e uma de cal). Esta mistura com o cal e cimento serve para evitar problemas em épocas de chuva.

A mistura pode ser ainda a mesma usada para fazer as colunas, com uma proporção de 1:6:0,5 (1 de cimento, 6 de areia e meia de cal). Para a construção de cabanas pode-se utilizar a mistura com a proporção de até 1:10:0,5 (1 de cimento, 10 de terra e meia de cal).

Como as garrafas são preenchidas?
Usa-se um funil que pode ser feito com o gargalo de uma garrafa menor. Para enchê-las podem ser utilizados quaisquer sólidos como terra, areia, palha de arroz ou trigo e, inclusive, resíduos de compostagem. O importante é que quanto mais seco é o material, mas fácil se enchem as garrafas.

Fonte: www.mdig.com.br


CASA PET

A Casa PET é a possibilidade concreta de gerar casas pré-fabricadas através da reciclagem de garrafas plásticas. As paredes da casa são formadas por painéis modulares que incorporam as garrafas plásticas no seu interior, melhorando o desempenho térmico, diminuindo o seu peso e conferindo maior espessura da parede e rigidez ao conjunto. Utiliza garrafas vazias, cujo material é abundante e de grande durabilidade, estimula a coleta seletiva e diminui a sua presença em lixões e aterros sanitários, fator problemático nas grandes cidades.

O objetivo é apresentar o desenvolvimento da tecnologia de fabricação de painéis com garrafas de Polímero Termoplástico (PET) recicladas. As paredes da casa são formadas por painéis modulares, que incorporam as garrafas plásticas no seu interior, melhorando o desempenho térmico, diminuindo seu peso, conferindo maior espessura da parede e rigidez ao conjunto. Este processo utiliza as garrafas plásticas vazias, cujo material é abundante e de grande durabilidade, atuando como elemento estimulador para a coleta seletiva, contribuindo para reduzir sua presença em lixões e aterros sanitários e, desta forma, diminuindo o impacto ambiental nas grandes cidades.


Fig. 1 - Colocação das garrafas no molde Fig. 2 - Concretagem dos painéis

O projeto busca proporcionar flexibilidade compositiva à casa, de modo que seja possível sua montagem com elementos pré-fabricados e também permitindo sua ampliação futura, sem necessidade de desocupação da casa.

Para a fabricação do painel parede com garrafas plásticasé necessária a combinação de unidades de garrafa, para obter o formato e as dimensões finais projetadas. A fabricação do molde pode ser executada com diversos materiais e a classificação, corte, limpeza e preparo das garrafas plásticas podem ser realizados por uma pessoa devidamente treinada.

Fig. 3 - Colocação de tubos e eletrodutos Fig. 4 - Possibilidade de execução de painel curvo

A fabricação dos painéis de paredes portantes é feita em moldes de madeira, fibra de vidro ou chapa de aço, dependendo da escala de produção. Os painéis são formados por colunas verticais com garrafas PET, cortadas e encaixadas, reforçadas com treliça de aço plana em seu perímetro e revestidas nas duas faces com argamassa de cimento e areia. A cobertura também pode ser fabricada com painéis planos ou curvos, executados com o mesmo sistema construtivo. Neste trabalho buscou-se a racionalização do projeto de habitação térrea para a construção de um protótipo embrião de 39m², tendo dois dormitórios e com possibilidade de ampliações utilizando o mesmo sistema construtivo sem a retirada dos moradores.

Para a caracterização da resistência e comportamento em serviço do sistema, foram fabricados seis painéis com garrafas plásticas. Os ensaios foram realizados no Laboratório de Estruturas do Departamento de Engenharia Civil da UFSC, sendo eles: enasios de impacto de corpo duro e corpo mole, e ensaios de ruptura à compressão dos painéis em posição vertical.

Fig. 5 - Desmoldagem dos painéis Fig. 6 - Realização de ensaio de compressão

Os resultados demonstraram uma adequação do sistema construtivo para a construção de uma edificação térrea em função de sua capacidade portante e da resistência satisfatória do impacto de corpo mole.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Gostou então comente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Recent Posts

Blogobo.com